A "Trilha do Avião" na Serra do Brigadeiro: lugar de memórias, lugar de história


A "Trilha do Avião" na Serra do Brigadeiro: lugar de memórias, lugar de história
Crédito imagens: Silvan Vital e Cristian Lima

Um fato ocorrido em um determinado local que tenha mudado os hábitos, rotinas e costumes das pessoas – independente de quanto tempo tenha durado – entra para a história. É o chamado fato histórico social. Entra para o imaginário coletivo e, literalmente, torna-se o chamado fato histórico, com suas interpretações e narrativas a partir do acontecimento. Passa a ser simbólico do ponto de vista das memórias das pessoas e do lugar. Passa a ter um significado, a partir das ações em torno do ocorrido. E traz consigo a representação, pois ali – em um tempo e espaço determinados – mudou-se um determinado cotidiano.


O acidente com o avião que transportava três técnicos da Ruralminas, mais dois tripulantes, no alto da Serra do Brigadeiro, em julho de 1986, foi um destes fatos históricos. Abaixo, demonstramos como o acidente influiu no modo de vida das comunidades envolvidas naquele tempo e espaço e como o local veio a se tornar um patrimônio histórico cultural, uma vez que está na memória coletiva do lugar e nas histórias contadas e recontadas por diferentes gerações.


O Patrimônio Cultural


A “Trilha do Avião” faz parte do Inventário de Proteção do Patrimônio Cultural do Município de Miradouro. Trata-se de um Conjunto Paisagístico Natural. O processo de Inventário junto ao IEPHA (Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais) encontra-se publicado no documento “Miradouro – MG: ICMS Patrimônio Cultural – Exercício 2021” Belo Horizonte: MGTM, 2019, p. 79-86.


A Localização