Natureza na Serra

Características da Fauna

O Parque Estadual da Serra do Brigadeiro é um santuário ecológico, incrustado em plena região da Zona da Mata mineira. É considerado o maior trecho de Mata Atlântica do estado, integrando o complexo da Serra da Mantiqueira (mais ao norte), entre os vales de Carangola, Glória e Rio Doce. Ali se pode ainda encontrar espécies raras ameaçadas de extinção da fauna e flora, como o muriqui – o maior primata das Américas – e o sagui-de-cara-amarela.

 

Outras espécies raras como a jaguatirica, o veado-mateiro e a águia-chilena também habitam a região. Entre outras diversas espécies, também se destacam a suçuarana, quati, tatu, cuíca, paca, cutia, preguiça-de-três-dedos, gambás, gavião-cabloco, maritaca, coruja, pica-paus, lagarto, cobra-coral, jararaca, e ainda uma grande infinidade de borboletas, besouros e libélulas.

Os biólogos Brás Cocenza e Sérgio Mendes descobriram, há mais de 19 anos, uma espécie híbrida resultante do cruzamento entre o sagui-de-cara-amarela e o sagui-da-serra-escuro espécies presentes na Serra do Brigadeiro. Até agora, já foram encontrados 22 saguis híbridos. Sérgio Mendes conta que a região é o único local onde ainda se encontram exemplares de sagui-de-cara-amarela e de sagui-da-serra-escuro, e o fato de os híbridos serem férteis ressalta a suspeita de que os dois saguis pertencem a uma mesma espécie.

Características da Flora

A Serra do Brigadeiro é caracterizada pela presença da Floresta Atlântica de Encosta (Floresta Estacional Semidecidual Submontana) e por Campos de Altitude. A área pertence ao complexo da Serra da Mantiqueira, com regiões muito declivosas, relevo de serra com sucessivas cristas. Possui muita pedregosidade e predominância de afloramentos rochosos. O solo predominante é do tipo Latossolo Vermelho-Amarelo- húmico álico. O clima é classificado como sendo mesotérmico caracterizado por verões brandos a quentes e úmidos. A temperatura média anual é de 18° C, chegando a 0° C no inverno, e a 23° C em dias mais quentes. A precipitação média é em torno de 1300 mm com chuvas de novembro a março.

 

O tipo de vegetação encontrada na Serra do Brigadeiro é a floresta estacional semidecidual (de encosta, submontana e montana). Nos campos montanos ou de altitude, onde a vegetação é rasteira, encontramos várias espécies de capins, pequenos arbustos, orquídeas, bromélias e musgos em profusão. A serra é como um derradeiro paraíso botânico para Minas Gerais, pois possui espécies raras e ainda não descritas pela ciência. Já foram catalogadas centenas de espécies de plantas e cerca de 80 espécies de orquídeas, muitas delas ameaçadas de extinção. O levantamento da flora já identificou cerca de 380 espécies diferentes de plantas de 79 famílias.

Na floresta de encosta, podem-se encontrar várias espécies de árvores de grande valor comercial, como cedros, cajaranas, jequitibás, canelas, óleo-vermelho, bicuíba, perobas, ipês, roxim, entre outras. Nesta floresta, à medida que a altitude vai aumentando, o dossel da floresta vai diminuindo, e a ocorrência de neblina durante praticamente todo o ano faz com que a umidade tome conta de tudo e forme um ecossistema riquíssimo em plantas epífetas. Os troncos e as copas destas árvores estão cobertos por uma infinidade de orquídeas, samambais, liquens, bromélias, aráceas e cactos.

 

img_6271_34516045303_o.jpg